Páginas

sexta-feira, 12 de abril de 2019

sobre querer e ser querido



Escolhi aproximar de minha verdade, há coisas das quais me orgulho muito, outras ainda preciso me aceitar. Minha verdade é o que há de mais forte e vulnerável em mim.
Pois é na verdade que habita as falhas, o feio, o profano, mas também o sagrado, o bom e o belo que sou e faço.
Algumas pessoas tem se aproximado e encantado em me conhecer, outras se afastaram justamente por isso. Escolher nossa verdade tem disto, não é fácil, e custa-me às vezes desagradar alguns. Mas é tão bom poder estar sem os disfarces, que ser querido deixa de ser a condição.
Eu quero é meu querer.

sábado, 6 de abril de 2019

João, de Deus?

Há tantos João estuprando mulheres, crianças e pátrias e usando o nome de Deus.
Há fieis que os seguem cegamente.
seguem cegos servos fieis
a Deus ou a João?
João, de Deus?
em nome de Deus foi a má fé.
ser vil do diabo
que te carregue.




A tragédia criminosa em Brumadinho, Minas Gerais


Brumadinho mostrou-nos que não aprendemos nada com Mariana. Em ambas as situações ficamos chocados, partilhamos imagens e pesares. Até quando? Até a lama secar, e ir silenciosa (para nós, ao menos) para os rios e córregos. O desastre criminoso está só começando.
Mas esquecemos, e esquecemos rápido. Elegemos um senhor que em nenhum momento escondeu que seu governo não teria compromisso nenhum, ou muito pouco, com as questões ambientais. Seu compromisso é com as indústrias e as empresas.
Não estou a fazer política, é política por si só as questões ambientais. Minas tem 698 barragens de minério, das quais 205 com alto potencial de dano ambiental. Se não pressionarmos os Governos Estaduais e o Governo Federal vamos precisar partilhar muitas imagens, para aliviar nossa dor e culpa.

Navegar é preciso, viver não é preciso


Olhei para o mar e aquietei-me,
sua imensidão pôs em evidência minha pequenez.
O vai e vem das ondas mostrou-me que,
apesar dos dias conturbados,
é possível manter-se em seus domínios...
Além disso, eu vi rochas transformadas pela agitação da água.
A linha, no extremo mar,
que demarcava um não limite do seu fim,
deu-me esperança e medo.
Esperança porque há sempre o que buscar, avançar e encontrar.
Medo porque não temos o controle.
Sim, "navegar é preciso, viver não é preciso".'

Uber ironia


Pego um UBER hoje:
Uber: " a senhora está em Portugal a passeio ou vive cá?"
Eu: vivo cá.
Uber: então trabalha?
Eu: sim
Uber: gosta do seu trabalho?
Eu: sim🧐.
Uber: o que faz?
Eu: sou psicologa.
Uber: Ah mas vocês estão a rou..(silêncio) conseguir trabalho que nem os portugueses conseguem. Minha filha é psicologa, está sem trabalho.
Eu: Eu não trabalho em nenhuma instituição portuguesa, criei meu trabalho, investi num gabinete e apostei na minha profissão. É uma questão de investir, acreditar e correr risco.
Uber: pois, ela foi para a Irlanda, conseguiu trabalho, mas não aguentou ficar, lá faz muito frio sabe..Ligou-nos disse que estava adoecer, bronquite...enfim.
Disse o motorista num tom lamentoso a essa menina do norte de minas☀️🔥, enquanto dirigia sob forte chuva e essa baixa temperatura que nos surpreendeu na primavera.
Uber: e você está bem?
Eu: muito, obrigada pela preocupação.
Final da viagem: ⭐️

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

O riso e a dor

O riso e a dor



Há pessoas que riem para amenizar o nervosismo,
a dor;
o trauma,
o famoso "rir para não chorar".

Disfarçam, 
e assim os outros as suportam 
e elas desviam a dor.

Se a dor incomoda, 
ri. 
Se a dor machuca, 
ri. 
Se a dor confronta,
ri.
Se a dor assusta,ri

Os humoristas, muitos deles, riem muito, já viram de quê?
Riem do Bolsonaro,
Riem do Lula,
Riem da corrupção,
Riem do negro,
Riem do gay,
Riem da mulher,
Riem do pobre,
Riem do feio,
Riem do gordo,
Riem da desgraça.

Desde criança eu não gostava de humorista,
não achava piada,
não entendo a piada,

Riem porque doi,
porque machuca,
porque incomoda

Eles riem para não sentir,
riem para não confrontar, 
riem para desviar,
riem para esvaziar,
para não dizer.
Porque ninguém suporta a dor.

Eu continuo a mesma...
Não acho piada,
não percebo a piada, 
não tem piada.

Eu prefiro confrontar a dor,
o riso abafa, 
esconde, 
disfarça,
o riso distorce.

Eu prefiro chorar só, 
a ri com muitos

Nana.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Conversa no espelho



Às vezes, a falta do que perdi me entristece. A falta do que nunca tive me angustia. Se a primeira me faz querer voltar, a segunda me motoriza e acelera em mim uma direção que precisa ser conquistada. Já a falta mais obscura é a falta de algo que se tem.
- Oras, se tem não falta, porque se falta não tem.
- Mas tenho!
- Então não falta.
- Falta!
- Então não tens.
- Talvez eu suponha ter.
- Isso é imaginação, talvez loucura.
- Talvez...
- Veja tal como é.
- Já sentiste a falta de algo que tenhas?
- Não, pra ter falta, é preciso ter tido ou não o ter.
- Então tenho a falta do que nunca tive, mas e tudo aquilo que tive, que tenho? Estarei louco?
- Não. Só não percebeste que nunca tiveste o que lá esteve e que jamais foi teu.
- Hum... Fiquei no vazio.

- Aproveite e reinvente-se. 

                                                                                                              Nana Andrade
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...