Páginas

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Era uma vez...


"Tem lagarta que acredita ter nascido pra ser borboleta, 
mas a borboleta sabe que nasceu pra ser os dois"

Nana Andrade

14 comentários:

  1. Eu acho que sou a lagarta da redoma, viu? Sei lá, me vi nela...

    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. Oi Luna,
    brigada pela visita.

    "Tem lagarta que acredita ter nascido pra ser borboleta, mas a borboleta sabe que nasceu para ser os dois."

    Esta foi minha reflexão pessoal deste post, acho que cada um , por suas vivências, tem a sua. Assim, o que partilho contigo é que, não importa que lagarta tenhamos sido, o importante é não desprezarmos cada momento, cada acontecimento na nossa vida como oportunidade de crescimento pessoal

    ResponderExcluir
  3. Querida,

    acho que tenho um pouco de cada lagarta...mas gostei mesmo da reflexão que fez para este post!!

    "Tem lagarta que acredita ter nascido pra ser borboleta, mas a borboleta sabe que nasceu para ser os dois."



    *Seus comentários não estão entrando por algum motivo que não sei qual lá em meu OLHAR....snif...pois gosto demais de sua presença por lá!!!!!

    Um beijo em seu coração, linda borboleta e tenha um ótimo final de semana!!

    Bia

    ResponderExcluir
  4. É sim Bia, pensando bem, tb tenho um pouco de cada lagarta..obrigada pela visita..
    bjss

    ResponderExcluir
  5. Nana, Nossa!!!!!!!!
    De certo, um dos poemas mais lindo, cheio de magia, mas ao mesmo tempo cheio de tanta verdade que já li na blogosfera!

    Bem criativo, viu?
    Você sempre surpreende com tanta inteligência e sutilidade.

    Agora, falando sobre o título do meu blog, ele não poderia se chamar o grito de um silêncio, porque são raras as vezes em que me calo, o meu silêncio é raro e só é usado perante à reflexão, à perguntas mesquinhas, e pessoas nas quias surdas, de nada adiantaria gritar. Mas, enquanto os ouvidos, mesmo cheios de cera, de imundices, de si, ainda puderem ouvir, eu grito. Porque calada eu nada sou, e calada, eu nada faço, nada questiono, nada mudo, calada eu consento, e consentir que a maldade aconteça não é meu forte! Então que meu grito silencie a mediocridade de muitos.
    E que aquilo que se mantém em silêncio, mesmo enquanto me pronuncio, mesmo enquanto grito, aquilo que só transparece pelo olhar, mude à muitos também... Que o Silêncio de meus Gritos seja mais forte que os próprios.

    Espero ter explicado!
    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  6. Eu diria que sou a lagarta da redoma.
    Admiro muito quem voa alto, onde o céu é seu limite, mas eu prefiro voar mais baixo. Já imaginou se todas as borboletas voassem alto? Que sem graça seria o nosso jardim,então é sempre bom ter as duas borboletas: a da redoma e a do campo, cada uma faz a diferença no seu habitat que escolheu.

    ResponderExcluir
  7. Jayne,
    obrigada pela visita. Qt ao titulo do seu Blog ficou explicado, sim. Era mesmo um devaneio meu, aqueles pensamentos altos...acho que seu blog, é para além do que vc define, gosto mt de estar lá.


    Vi,
    querida, vc,com seus comentários, têm sempre extrapolado o sentido de cada post, revelando outros horizontes, que por alguma coisa a gente se limita a enxergar.
    E é nisso que está a graça da vida, nesta diversidade.
    Obrigada pela visita. bjss

    ResponderExcluir
  8. LIndo demais, Nanoca!Vc nasceu pra escrever!

    ResponderExcluir
  9. Lu, minha amiga, obrigada pela visita. E seu blog heim, vc anda sumida de lá!
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Nana, parabéns pelo blog, é lindo e tem um ar tão singular e intenso como você.
    Tinha que ter divulgado antes, coisas belas não podem ficar escondidas...
    Quanto as borboletas penso que uma não é melhor que outra, talvez ambas nascessem para ser duas coisa, talvez não. Alguma precisa ficar cuidando do girassol enquanto outras voavam...
    A felicidade de uma pode estar na veemência a da outra na serenidade.
    O importante é ser feliz e se sentir pleno mesmo que aos olhos dos outros pareça um ser incompleto.

    ResponderExcluir
  11. Lara, que visita ilustre neste espaço, obrigada mesmo!
    Na verdade, sempre que tem post novo divulgo sim, e será mt bom ter vc passeando por aqui.

    Vc e demais leitores têm percebido a graça e a importância de ser o que é na sua singularidade. E cada borboleta, de fato, é importante...
    Bjs

    Nana

    ResponderExcluir
  12. Nana,
    Ainda bem que temos um pouco dos dois. Obrigada por seu carinho de sempre.
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  13. Nana querida!

    Vim agradecer o lindo comenário que fez lá em meu OLHAR sobe o AMOR e sua DOR...

    um beijo com meu carinho, querida!

    Bia

    ResponderExcluir
  14. Nana querida...

    Respondendo ao seu comentário lá no meu OLHAR:

    esta escrita mexe mesmo...mexe profundamente...

    e é por isto que escrevo...para fazer pensar...para provocar...muitas vezes sutilmente, outras diretamente...

    somos todas mulheres, santas e profanas...meninas e mulheres...temos o poder da sedução em nossas mãos, em nosso corpo, em nosso OLHAR e em nossos corações...em nossas palavras, em nossa boca...

    gosto de mexer com o imaginário das pessoas, de provocar uma viagem...

    acho interessante que até agora ninguém tenha comentado o nome deste post:

    G.P. ....


    beijos minha querida!

    Bia

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...