Páginas

terça-feira, 12 de junho de 2012

O que te aproxima do outro?

12 de junho, ótima data para fazer algumas reflexões sobre as relações afetivas.

Todos nós conhecemos vários  namorados, amantes e casais matrimoniais, não é mesmo?

Há quem se aproximou pelo belo, pela possibilidade de estar ao lado de alguém com uma boa renda, ou apenas alguém para construir uma casa, um filho, uma vida qualquer, que seja diferente da antiga. 
Há também quem se aproximou pelo mistério, pela propaganda, pela curiosidade, pelo charme, e até pela solidão.
Há quem se aproximou e nem sabe porque..
Há "nós" e "nossas" relações. Ou ainda, quem não se aproximou. 
E há o "eu", o vazio e  "minhas" vontades.

E hoje, quem se aproximou, vai enviar flores, cartões, chocolates; vão convidar pra jantar, pra sair, pra dançar. 
E quem não se aproximou, vai ficar com vontade. 
Mas há quem sem aproximou, e não tem mais que metade. E pior, nem metade de si mesmo!

Não é preciso olhar muito longe e ver casais de ciúmes, casais de insegurança,  de controle, de medo, de tédio. São namorados e casados com a insatisfação.

Tão raros os que descobriram e se fizeram companheiros. Que se aproximaram e caminharam juntos. Que vieram nus em suas vontades, não foi questão de estética, não sabiam as respectivas profissões, não pensava em casa, nem filhos, nem em outra vida, viveram o momento, não tinham segredos, nem muitos contatos, dançavam por vontade e se sentiam bem. 
Raros, também, os que, independente do início, resolveram mudar no meio para não ver o fim.

Raros os que acompanham... e hoje não reconquistam, mas retribuem....

Aos que estão acompanhados pensem nisso, é possível mudar sempre, e mudar juntos. Aos que ainda estão sozinhos, saibam esperar, e não esperem um príncipe, o amor é simples, e pode estar apenas esperando que você acalme sua vontades de doar, para receber.. às vezes, tem gente que não saber receber amor, porque pensa que amor é outra coisa..

Que este dia chamado "Dia dos namorados" seja feliz para todos, os companheiros, os enrolados e os solteiros



Nana Andrade





8 comentários:

  1. Excetuando os casos dos profissionais do sexo, há mais corpos colados por aí que amor.

    Às vezes, me pergunto qual a razão da frenética busca pelo amor, mas não é preciso ir longe, amor é sempre igual, não importa em qual categoria, e, por natural, sabemos como preenche, diz o livro todo.

    Suzana Guimarães - Lily

    ResponderExcluir
  2. Suzana, obrigada pela sua ilustre presença.
    Gosto de pessoas que admiro a escrita por aqui, ainda mais iluminando ainda mais o texto.

    Verdade, Suzana, as pessoas buscam freneticamente o amor...e isso, na maioria das vezes, só leva a vazios.

    Nana

    ResponderExcluir
  3. Nana,
    O amor é assim invade e fim...
    Obrigada por seu carinho de sempre.
    Beijos
    Denise

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Gostei muito do teu texto, é pra se pensar o que nos aproxima ..., Hoje em dia o relacionamento está tão desvirtuado, com as possibilidade aparente, td se torna acessível, do ficar ao amar! Td tão rápido que nem dá tempo de construir um relacionamento firme, duradouro, vivemos em uma época de momentos. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada pela visita.
    Penso que não podemos generalizar, a gente precisa questionar porque o efêmero está se sobressaindo ao essencial, e buscar a diferença...

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Nana!
    Sua reflexão foi perfeita!
    Por vários motivos nos aproximamos do outro, nos apaixonamos e nem sempre continuamos ali pelo memso motivo. Como vemos hoje os casais cada vez mais ficando menos tempo juntos, tudo é muito fulgaz, é uma pena. Não existe mais cumplicidade, tolerância e isso faz levar qualquer relacionamento por ágaua abaixo, cair no vazio.
    Beijinhos e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  7. Obrigada pela visita e participaçã Valéria

    Nana

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...