Páginas

sábado, 27 de abril de 2013

Feridas abertas fedem

As feridas abertas fedem quando ficam expostas sem qualquer tratamento médico. Os campos de concentração onde por vezes militares em guerras ficavam sem atendimento médico também fediam. Animais com feridas abertas sem tratamento também fedem.

As feridas abertas, quando expostas e sem tratamento, fedem!

Assim também as feridas de ordem psicológicas, sem tratamento, fedem! Pessoas com sérios problemas de ordem psicológica manifestam sintomas dos mais variados que podem causar mal estar às pessoas que elas se relacionam ou convivem. Esse sintomas é que estamos metaforizando com o fedor da ferida aberta e sem tratamento, o que já não mais prejudica somente a si, mas também aos demais.

Feridas que fedem  autoafirmação e arrogância são dos piores maus cheiros que podem existir, mas ainda tem tantos outras, feridas que fedem, como as de excesso de limpeza, ou excessos de desorganização, há feridas que fedem egoísmo, que fedem falsidade e mentiras, há feridas que fedem intolerância, ciúme, controle, feridas que fedem inveja e outras, de tantas mais, o pessimismo...

São feridas que pelo seu mau cheiro afastam várias pessoas, são feridas que, portanto, requerem tratamento  cuidado.

Devemos estar atentos, todos nós temos nossas feridas, se é verdade que devamos aprender a conviver com as nossas e as feridas alheias, mais certo é que devamos aprender a tratá-las. Assim, se não pudermos evitá-las ao menos a remediemos  para que não exalem o mau cheiro.

Devemos considerar, contudo, que não são as pessoas que fedem, mas suas feridas expostas e sem tratamento. Este post, então, não é uma apologia à pessoas sem feridas, o que seria impossível, mas à busca de tratamento para as feridas abertas. Pelo bem de si mesma e das pessoas com as quais convivam!


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Acreditar no que há de bom

Era apenas um menino, mas tinha a mania de acreditar em todas as coisas boas que ouvia. Não que não se abalasse com as coisas ruins, mas apenas não lhes rendia fé.

Quando pequeno, as pessoas grandes lhe diziam que era um belo menino. Quando jovem lhe falavam que "ele poderia ser o que quisesse", e "que era responsável pelo amanhã", dessas coisas que dizem toda gente aos adolescentes. Mas ele acreditava..

Na faculdade, já com pequenos esboços de seus projetos lhe diziam que "haveria de ser o maior arquiteto se persistisse", desses comentários que ouvia de alguém que se quer entendia do assunto...

Mas ele acreditava em tudo que ouvia, em tudo que lhe parecia bom ele acreditava.

Isso porque não era quem falava, ou o que falava, mas o que ele próprio escolheu seguir e acreditar.

Ao fim da vida, não se tornou o melhor arquiteto, nem mudou o mundo, tao pouco, tenha sido modelo ou famoso por sua beleza.
Ele foi feliz, conquistou o que acreditou. Sua fé nas coisas boas lhe abriam portas que sustentavam seus projetos e seus sonhos, não realizou o sonho de todo mundo. Realizou seu sonho mais pessoal, e foi estímulo seguido por amigos e os mais próximos. 

Não era o melhor, nem nunca acreditou nisso. Era ele, sentia-se bem, estava feliz, se via bonito, amava os outros, e desenhou  plantas, plantou planos... e, no fim, construiu casas.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

O preconceito não é um problema

Antes que eu seja apedrejada com esta afirmação sobre o preconceito, convido-os a refletirem comigo.

Em momentos de raivas muitas pessoas já desejou matar outra, ela é assassina? 
Não, apenas se matarem.

Há muitas pessoas que pensaram em arrombar o banco, pegar frutas na casa do vizinho, pegar o sapato que  viu na vitrine, emfim... E por isso estas pessoas são ladras?
Não, se não roubarem nada.

Há companhei@s que quando vem um homem ou mulher bonita e por um momento @s desejaram, eles traíram?
Não, se eles não fizera além disso.

Emfim, poderia continuar a seguir com milhares de exemplos, mas voltando ao ponto, o preconceito.

Uma pessoa que pensa que num determinado país, etnia ou grupos só tem os estereótipos negativos divulgados na mídia ou por má experiências vivenciadas por alguns conhecidos . Essa pessoa é preconceituosa?
Não, se essa ideia for apenas um conceito a priori, ou seja, um conceito generalizado e formulado antes de conhecer realmente o país, ou grupos e etnias; e as pessoas que deles fazem parte. Não se os meios que elas têm informação lhes fazem chegar apenas estas noticias. Isso é muito comum com pessoas que tem pouco acesso a bons jornais, boas leituras. É o que pode se chamar de ignorância (não no sentido vulgar, grosso e burro, mas de falta de conhecimento). Mas contudo, quando tem a oportunidade de conhecer não se deixam levar por estas informações, podem até confrontar mas buscam conhecer as pessoas como elas são. Neste caso, estas pessoas não são preconceituosas.

Do contrário, quando uma pessoa estudada, que tem acesso a diversidade de informações na internet, age de modo preconceituoso, então, a esta podemos dizer que é preconceituosa, porque não teve respeito, mesmo tendo conhecimento. Quem age assim não é ignorante, é cego moralmente, é intolerante. Mas essa atitude revela mais da pessoa do que quem ela atinge.

O que pensamos só pode causar mal a nós mesmos, portanto, o preconceito ou pensamento a priori sobre alguma coisa ou pessoa é normal e humano, a pessoa preconceituosa pode pelos seus pensamentos se fechar há apenas um grupo pelos quais ela pode conviver com seus pensamentos e estar bem e feliz assim. Mas no confronto social ao agir com falta de respeito, ao violar regras sociais (no caso dos exemplos anteriores) essa pessoa está levando do seu mal para os outros. 

E isso sim é um problema.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...