Páginas

sábado, 29 de junho de 2013

De onde professores tiram a ideia que se colore de um jeito só?

Ontem, após muitas horas lendo e escrevendo, decidi ir dormir. Era mesmo muito tarde e estava visivelmente cansada. Mas, não sei porque,fiquei olhando um desenho que encontrei na internet, achei tão lindo e quis fazer uma tradução. 
O desenho da internet

Me deixei inspirar pelo desenho que vi para criar o meu. Achei que ficou mesmo lindo! 
O desenho na minha versão
Então senti falta de cor e coloquei-me a colorir. Não gosto de colorir. Gosto das cores e das coisas coloridas, mas não de colorir. Nisto me lembrei que estava cansada, parei e fui então pra cama
Minha tentativa frustrada de colorir

Acordei hoje e me lembrei de uma cena que aconteceu comigo quando eu estava no jardim de infância.
Eu tinha que colorir um daqueles desenho repetitivos que a professora nos trazia. Comecei então a colorir, não estava lá muito bonito, mas eu estava tentando. Indo com o lápis para todos os lados.

Foi quando veio a professora Lurdes (ela nem vai se lembrar de mim), me lembro dela, era baixa, um pouco gordinha, tinha cor negra, era muito simpática e carinhosa. Não sei se ela era mesmo assim, agora já nem sei se foi mesmo ela. E nem sei se tive mesmo uma professora que se chamava Lurdes, agora tudo me parece confuso. Mas estudei no jardim de infância, e realmente estava a desenhar quando a professora, talvez esta, talvez outra, veio

pegou o lápis de minha mão e me disse que eu tinha que colorir "assim", e começou a preencher o desenho com movimentos circulares. 

Nunca me esqueci, pois durante muito tempo tentei repetir este movimento. Na segunda ou primeira série, cerca de 3 ou 4 anos depois, uma amiga, que ainda hoje tenho muita afeição, coloria como ninguém todos os desenhos que a professora trazia (professores gostam de trazer desenho pra sala de aula, né?). Eu olhava tentando compreender os movimentos circulares do colorido que seus desenhos possuiam. Não os percebia, é claro, é possível que ela nem colorisse de tal forma, mas era assim tão perfeito, que eu julguei que ela devia ter aprendido com a professora do seu jardim de infância. 

É claro que não é tarde pra eu sentar e aprender a colorir do meu jeito. Mas não tenho mais vontade, gosto mesmo é de desenhar. Ainda bem que meus professores nunca nos pediram pra desenhar, talvez porque eles não descobriram a "fórmula" de desenhar. O desenho é por demais criativo para se enquadrar em simples movimentos coordenados. Mas o colorir também o é. 

Logo, de onde esta professora tirou a ideia que se colore de um jeito só?




quinta-feira, 20 de junho de 2013

Demonstrar o amor que suporta


Às vezes, amigos, parentes e colegas nos queixam de um mal estar e prontamente oferecemos ajuda, perguntamos se foi ao médico. Às vezes, eles se queixam de tristeza.. aí nós não sabemos o que fazer e, talvez por isso, nos afastamos.

Não sabemos lidar com tristeza, um sentimento tão humano e comum. E que tem direito de existir como qualquer outro. Ajudaria se as pessoas, cujos vínculos afetivos sejam significativos, demonstrassem pouco mais de cuidado, de amor de solidariedade. Não é preciso muito, apenas gestos de carinho, gestos de amor. As pessoas tristes precisam ser amadas, ainda que elas digam que não querem falar, ou querem estar sozinhas.

Nisto elas não, necessariamente, estão dizendo "afasta-te!". Mas talvez "me envergonho de minha tristeza", "não quero falar dos meus problemas" "não tenha pena de mim", pode ser outras coisas também, é claro!
Mas geralmente diante de pessoas que estão tristes nossa atitude é a de querer saber porque elas chegaram neste estado, ou seja, sem querer tornamo-nas culpadas pela própria tristeza. Ou ainda, dizemos frases prontas e quase nos chateamos por elas estarem tristes, obrigando-as a se alegrarem. Ou, realmente, temos tanta pena que também ficamos tristes.

Essas posturas em nada ajuda a pessoa que está triste, pelo contrário a faz sentir pior. É preciso aprender ser uma companhia calada, respeitar o sentimento sem fazer cobranças, mesmo porque não é hora de fazer cobranças.

É preciso demonstrar o amor que suporta.

Amar simplesmente e fazer sentir o amor. Isto provavelmente não trará a alegria de volta, mas será força para que a pessoa que está triste saiba que é amada, valorizada mesmo quando, aparentemente, não tem nada a oferecer.

Pensemos nisso!

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Repugnância às indelicadezas

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...