Páginas

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Sobre tolerar o erros

Uma aluna de português como língua estrangeira, que iniciou recentemente o curso comigo, tem demonstrando muitas dificuldades na aprendizagem de um novo idioma. Ela fala inglês, língua nativa, e nunca aprendeu outra língua. É jovem, mas tem muito medo de errar.

Preparei uma aula com muito cuidado, onde procurei ser o mais clara e efetiva possível. Elaborei uma tarefa especialmente pra ela. Quando ela me devolveu percebi que estava tudo errado. Não havia nada que eu não precisasse comentar e corrigir.

Quando fui devolver este exercício para esta aluna fiquei pensando como lhe dar um feedback deste trabalho, sem um aparente sucesso, e não desmotivá-la por isso?

Foi então que fiquei olhando para a tarefa ali em minha frente, pensando em suas expressões de quem queria acertar e ao mesmo tempo tinha tanto medo de errar e pus me a escrever estas palavras

Image result for flores cartum"Eu corrigi sua tarefa. Estou muito orgulhosa por você ter tentado. Eu acredito que a coisa mais importante quando estamos aprendendo algo novo (não apenas língua) é tentar e tentar sem medo de errar. Pois, errar é parte de qualquer processo. Então, olhe seus erros, veja meus comentários e correções e tente esta outra tarefa. Se você tiver dificuldade eu estou aqui, não espere até a outra aula para me perguntar. Estou feliz por ajudá-la."
Sua resposta de agradecimento e palavras de compromisso vieram em seguida.

Consciente de que a relação de ensino-aprendizagem envolve muito mais que saber e não saber, comecei a pensar sobre as tantas pessoas que ocupavam o lugar de educadores ou de quem nos deviam instruir de alguma forma, mas que diante de uma pequena falha agiram de forma ríspida, impaciente e intolerante aos nossos erros, ou quantas vezes nós mesmos não agimos assim com outras pessoas.

Portanto, não resto dúvida. Só o amor, a paciência e a tolerância pode fortalecer e desenvolver uma relação madura e saudável de ensino-aprendizagem tantos nos contextos formais de educação quanto nas nossas rotinas de educadores diários como pais, tios, irmãos, filhos, políticos, religiosos, maridos, esposas, namorados e até mesmo nossa relação pessoal.

Nana Andrade

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...